noticias

Mulher amamenta seu filho no Instituto Fernandes Figueira/FiocruzFoto: Comunicação FiotecA febre amarela e a vacinação contra a doença são assuntos que não saem de pauta. O Ministério da Saúde (MS) não tem poupado esforços para divulgar todas as atualizações e informações pertinentes ao assunto, como os grupos que não devem tomar a vacina. São eles: crianças menores de 9 meses de idade; mulheres amamentando crianças menores de 6 meses de idade; pessoas com alergia grave ao ovo; pessoas que vivem com HIV e que tem contagem de células CD4 menor que 350; pessoas em de tratamento com quimioterapia/radioterapia; pessoas portadoras de doenças autoimunes; e pessoas submetidas a tratamento com imunossupressores (que diminuem a defesa do corpo).

Por essa razão, o Instituto Nacional Fernandes Figueira (IFF/Fiocuz), divulgou informações que explicam a importância das gestantes, lactantes e lactentes (bebês que estão período de amamentação) não tomarem a vacina e a razão.

De acordo com a pediatra do Banco de Leite Humano do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Marlene Roque Assumpção, o bebê menor de 6 meses pode ser contaminado pelo vírus atenuado da doença, usado na fabricação do imunizante, “caso a mãe do lactente, menor de 6 meses, receba o imunizante, essa transmissão se dá através do leite materno e pode causar efeito adverso, como a encefalite viral”, destaca a pediatra.

A orientação do MS é que essa lactante, caso tenha recebido o imunizante, mantenha a suspensão do aleitamento por 10 dias após a vacinação. A pediatra do BLH orienta às mães que estejam em regiões endêmicas, que programem a imunização e armazenem o leite materno para ser oferecido ao bebê durante os primeiros 10 dias subsequentes à vacina, esse leite deve ser ofertado à criança no copinho para evitar o desmame. “O leite materno pode ficar armazenado congelado por até 15 dias. É recomendado que a mãe procure um pediatra ou o Banco de Leite mais próximo à sua residência para ser orientada sobre a coleta do leite, sua conservação e oferta”, enfatiza Marlene Roque.

Para a coleta e armazenamento de leite a mãe precisa de frascos esterilizados

Para esterilizar os frascos de vidro com a tampa plástica é preciso fervê-los por 15 minutos - comece a contar quando a água começar a borbulhar. Deixe secar a temperatura ambiente, não é necessário secar com panos ou fraldas.  A coleta de leite pode ser feita por expressão manual e bombas manuais ou elétricas (se optar pelo uso de bombas, lembre-se de que estas também deverão ser esterilizadas da mesma forma do que os frascos). Após a coleta, o leite deve ser imediatamente congelado. Não se esqueça de identificar com a data da coleta. Vai realizar uma nova ordenha? Esterilize um copo de vidro ou um outro recipiente de vidro, realize a coleta e ao fim poderá colocar este leite líquido por cima do leite já congelado sem problema.

Quer achar o Banco de Leite mais próximo? Acesse o mapa disponibilizado.

*Com informações do IFF/Fiocruz