Inca reforça importância da prevenção e detecção precoce do câncer de mama - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

Um panorama sobre a situação do câncer de mama no Brasil seguido de debate acerca da importância de não permitir que o medo da doença paralise pacientes, familiares e amigos. Esses foram os principais pontos abordados pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) na cerimônia de celebração do Outubro Rosa, mês em que, no mundo todo, são promovidas ações de reforço ao controle do câncer de mama. O evento comemorativo no Instituto aconteceu hoje (7/10). 

Embora outubro concentre a maior parte das ações, o Instituto e o Ministério da Saúde (MS) recomendam que as atividades sejam continuadas ao longo do ano e que as mulheres estejam atentas aos sinais e sintomas do câncer de mama todos os meses.

A campanha do Inca e do MS reforça três pilares estratégicos no controle da doença: prevenção primária (como reduzir o risco de câncer de mama), diagnóstico precoce (divulgar sinais e sintomas da doença e incentivar a mulher a observar o próprio corpo) e mamografia (informar que para mulheres de 50 a 69 anos é recomendada a realização de uma mamografia de rastreamento [exame de rotina], a cada dois anos).

O controle do câncer de mama, com base em dados disponíveis nos sistemas de informação do País e em pesquisas nacionais, foi tratado pela diretora-geral do Inca, Ana Cristina Pinho, na apresentação “O câncer de mama no Brasil”. Em seguida, profissionais de saúde e representantes da sociedade civil discutiram a importância de enfrentar os estigmas da doença para conduzir as pessoas às ações de saúde e luta pelos próprios direitos, principalmente no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), no debate “Juntos, enfrentando o medo”, mediado pela jornalista Luana Bernardes, da rádio Bandnews FM.

Exposição

Na última sexta-feira (4/10), 22 painéis da exposição "A Mulher e o Câncer de Mama no Brasil", que ilustram aspectos históricos, médicos e culturais das mamas, com foco especial no câncer e ações para o seu controle, foram expostos na Rodoviária do Rio. Durante a abertura da mostra foram distribuídos cartilhas e folhetos sobre o câncer de mama. A exposição é uma iniciativa do Inca e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e ficará em exibição até o dia 11, no embarque superior, na Av. Francisco Bicalho, 1, no Santo Cristo.

Segundo o Inca, são estimados 59.700 novos casos de câncer de mama em 2019, com um risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.


Fonte: Blog da Saúde/MS