Universidade de Brasília (UnB) lança curso online sobre controle de vetores - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, as doenças transmitidas por vetores são responsáveis por mais de 17% de todas as doenças infecciosas, causando mais de um milhão de mortes anualmente. No Brasil, enfermidades como dengue, zika, chikungunya, malária, leishmaniose e esquistossomose preocupam a população e as autoridades sanitárias.

Pensando nesse cenário, a Universidade de Brasília, integrante da Rede UNA-SUS (UNA-SUS/UnB) lança, nesta segunda-feira (9/12), o curso Vigilância e Controle de Vetores de Importância em Saúde Pública. A oferta é fruto da parceria com as Secretarias de Vigilância Sanitária (SVS) e de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) do Ministério da Saúde.

O objetivo é aprimorar os conhecimentos das equipes técnicas de controle vetorial com relação à biologia e comportamento dos vetores, assim como das técnicas, equipamentos e produtos utilizados na rotina dos programas.

O curso é voltado para profissionais das áreas de biologia, engenharia, medicina veterinária e zootecnia, mas também é aberto a demais interessados no tema.

As matrículas podem ser realizadas até 7 de julho de 2020, pelo link. O curso tem início imediato e, como em todas as ofertas da UNA-SUS, é totalmente gratuito.

A secretária da SGTES, Mayra Pinheiro, destaca a importância do curso para o controle sobre essas doenças transmitidas por vetores. “Qualquer profissional de saúde ´pode entrar no site da UNA-SUS, fazer o curso, aprender mais e mudar a realidade da saúde pública brasileira. O SUS é nosso! A gente precisar aprender, cada vez mais, a cuidar melhor da saúde dos brasileiros”, afirma.

Com carga horária de 45 horas, divididas em cinco unidades, a capacitação aborda noções de vigilância entomológica e métodos de controle vetorial; biologia de insetos vetores; classificação e formulação dos diversos grupos de inseticidas e resistência de insetos vetores aos produtos utilizados; tecnologias de aplicação de inseticidas e o trabalhando com inseticidas: procedimentos de segurança, manejo e logística.

Para dinamizar o conhecimento, o curso utiliza diversos recursos, como textos, ilustrações, ícones, vídeos animados, mapa conceitual.

Para Jitone Leônidas, coordenador da produção do curso, o principal ganho para o aluno é o desenvolvimento de competências, já que o profissional poderá aplicar os conhecimentos conceituais em suas vivências práticas do cotidiano. “Profissional qualificado, geralmente atua de forma competente eficaz. Considerando que há uma estimativa de 65 mil Agentes de Controle de Endemias atuantes no Brasil, conforme destaca a Fiocruz (2019), torna-se fundamental que se prepare estes trabalhadores com conhecimentos básicos de controle vetorial para atuar no âmbito dos estados e municípios”, afirma.


Fonte: Ascom SE/UNA-SUS