A atuação do psicólogo e sua importância para a sociedade - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

Inauguração do Centro de Atenção Psicossocial Carlos Augusto Magal, em outubro de 2016 (foto: blog da Rede OTICS-Rio)

Comemorado hoje (27/8) em todo o território nacional, o Dia do Psicólogo homenageia o  profissional da área da saúde responsável por estudar e orientar o comportamento humano, lidando com os sentimentos, traumas e crises das pessoas. A homenagem acontece hoje pois nesta mesma data, no ano de 1962, foi sancionada a Lei 4.119 que regulamentou a psicologia como uma profissão.

A atuação do psicólogo na sociedade é fundamental para que as pessoas possam entender um pouco sobre si mesmas. A procura pela ajuda de um profissional na área da psicologia não denota que ela está em algum estado de loucura. Essa visão, muito propagada pelo senso comum, é errônea e não tem nenhuma veracidade científica.

Os psicólogos, entre outros profissionais, compõem as equipes que atuam nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), unidades para acolhimento às crises em saúde mental, de atendimento e reinserção social de pessoas com transtornos mentais graves e persistentes e/ou com transtornos mentais decorrentes do uso prejudicial de álcool e/ou outras drogas.

Há exatos três anos era inaugurado um destes CAPS, especificamente o Centro de Atenção Psicossocial Carlos Augusto Magal, localizado na Av. D. Hélder Câmara, em Manguinhos. A Fiotec apoiou a construção de todo o prédio, em parceria com a Diretoria da Administração do Campus (Dirac/Fiocruz), e a contratação dos profissionais que fazem parte da equipe de saúde da unidade, por meio de seu apoio ao projeto Teias, que visa desenvolver na região um território integrado de atenção à saúde. 

O trabalho dos CAPS é feito com base na integração do paciente a sua família e comunidade, e o tratamento é realizado de forma individualizada ou coletiva, através de oficinas e grupos terapêuticos. O serviço é diferenciado para o público infanto-juvenil, até os 17 anos de idade, através do CAPSi, e para pessoas em uso prejudicial de álcool e outras drogas pelo CAPSad.

Atualmente são 18 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), 6 Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas (CAPSad) e 7 Centros de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSi), totalizando 31 unidades especializadas próprias. Outras três das redes estadual e federal completam a rede de 34 CAPS dentro do município do Rio de Janeiro. Os atendimentos são feitos de segunda à sexta, das 8h às 17h, com exceção de algumas unidades que funcionam 24 horas.